HISTÓRICO

ORIGEM EM 2016

 

Entre os meses de abril e novembro de 2016, após ser avaliado com 78,35 (setenta e oito virgula trinta e cinco) pontos dos 100 (cem) pontos possíveis e ser aprovado em terceiro lugar dentre outros 16 (dezesseis) projetos que propunham trabalhar a Cultura como linha de extensão, o projeto Capoeira Contemporânea: Vivência e Práticas Básicas foi fomentado pelo Edital Nº 592, de 28 de outubro de 2015, da Pró-Reitoria de Extensão do IFSP. O fomento contemplava R$3.000,00 (três mil reais) para aquisição de materiais de consumo e mais R$3.200,00 (três mil e duzentos reais) para pagamentos mensais de R$400,00 (quatrocentos reais), por 8 (oito) meses, a 1 (um) bolsista discente de extensão. O bolsista foi selecionado e seu auxílio à execução do projeto justificou em muito o pagamento das mensalidades da bolsa, contudo, por inexperiência administrativa, a aquisição do material de consumo sofreu atraso e o material solicitado: 50 (cinquenta) conjuntos de uniformes de Capoeira e 45 cordas (cordões) para graduação de Capoeira só ficaram à disposição da equipe executora do projeto em 2017.

Neste primeiro ano de atividades, o projeto de extensão caracterizou-se por realizar atividades semanais em 3 (três) espaços diferentes, para 3 (três) públicos distintos. Assim, a partir de 25 de abril de 2016, mesmo sem o material requisitado, a equipe realizou aulas de musicalidade, história, condicionamento físico e técnicas capoeirísticas no próprio câmpus e em parceria com dois Centros de Referência em Assistência Social (CRAS), o CRAS Cidadania e o CRAS Conviver, ambos localizados na cidade de Capivari. As atividades foram realizadas às segundas-feiras, das 17h15 às 18h45, no Câmpus Capivari, às terças-feiras, das 14h00 às 15h30, no CRAS Cidadania e às quintas-feiras, das 15h30 às 17h00, no CRAS Conviver. A proposta foi executada com a concepção do projeto de extensão ir até a comunidade e, feito desta forma, o projeto alcançou boa parcela do público alvo ativo estimado.

Ainda referente às atividades práticas, os participantes do projeto colaboraram com apresentações culturais (Rodas de Capoeira) durante a Semana de Consciência Negra do Câmpus Capivari, participaram de eventos capoeirísticos de Grupos de Capoeira da cidade e oportunizaram atividade formativa durante o III Congresso de Extensão e Mostra de Arte e Cultura do IFSP (CEMAC), em Sertãozinho-SP. Além disso, o projeto iniciou levantamento bibliográfico acerca da temática da Capoeira. Contudo, por não se ter recebido a tempo os uniformes e cordas solicitados, a equipe executora do projeto decidiu por não realizar o evento de graduação dos participantes, embora eles já houvessem sido aprovados nas avaliações física, teórica e técnica.

 

EVOLUÇÃO EM 2017

 

Mesmo depois da ótima avaliação inicial, dos esforços para execução e dos resultados de 2016, em 2017 a (re)proposta não foi sequer homologada para avaliação em atendimento ao Edital da PRX Nº 823, de 29 de novembro de 2016, sob a justificativa de não se enquadrar como projeto de extensão, mas sim como curso de extensão. Explica-se: segundo a Portaria do IFSP Nº 2.968, de 24 de agosto de 2015, curso de extensão é uma ação de extensão, mas um projeto de extensão se caracteriza pelo conjunto de duas ou mais ações de extensão. O citado Edital, assim como o Edital anteriormente citado, visava fomento apenas a projetos de extensão. Realmente o texto da proposta havia passado por alterações visando atualizar e adequar o projeto para um próximo passo: o projeto não mais se deslocaria até a comunidade externa ao câmpus, a proposta, agora, era de que a comunidade viesse ao câmpus. E mesmo que ainda se mantivessem as propostas de Rodas de Capoeiras como apresentações Culturais, participações em evento e continuação da pesquisa bibliográfica, o texto da proposta foi entendido como curso de extensão e foi desclassificado em relação ao Edital Nº 823/2016.

Após entendimento da justificativa para a não homologação, mesmo que não concordando com ela, o proponente do projeto persistiu e realizou nova adequação ao texto, deixando claras todas as atividades propostas, inclusive a realização de um grande evento capoeirístico com participação de profissionais de Capoeira da região para graduação e iniciação dos participantes do projeto no mundo da Capoeira: o I Batizado e Troca de Cordões de Capoeira do IFSP Câmpus Capivari. E, assim, com todas as atividades bem explanadas, o novo texto foi proposto e aprovado em atendimento ao Edital do Câmpus Capivari Nº 008, de 16 de fevereiro de 2017, com fomento previsto para uma bolsa discente de extensão: R$300,00 (trezentos reais) mensais, por 8 (oito) meses. Ao todo, R$2.400,00 (dois mil e quatrocentos reais). Coincidentemente, o discente escolhido como bolsista em 2016 foi o único candidato à bolsa em 2017. Sua participação na equipe de execução e a familiaridade com o projeto contribuíram em muito, mais uma vez, para execução das atividades propostas.

O primeiro aspecto a se destacar sobre o segundo ano de execução do projeto é que a participação da comunidade externa aumentou em relação ao ano anterior em 33,33%, embora a participação geral tenha diminuído em 22,27%. Ou seja, as alterações realizadas na proposta não a desqualificaram como ação de extensão. O segundo ponto que merece destaque se verifica na inscrição e assiduidade de um participante com necessidades específicas (nanismo e baixa visão). Ou seja, a Capoeira se revelando como ação inclusiva e democrática.

Neste segundo ano de realização do projeto, finalmente recebeu-se os uniformes adquiridos em 2016 e os participantes puderam desfrutar deste material para prática da Capoeira. Em 2017 a proposta previa uma carga horária maior de prática em relação ao ano anterior. Foram realizados 2 encontros semanais de duas horas de duração: às segundas e quartas-feiras, das 17h00 às 19h00, durante 8 (oito) meses.

Como não se havia realizado o evento de graduação dos participantes do projeto em 2016, aqueles que remanesceram do ano anterior e que haviam sido aprovados nas avaliações física, teórica e técnica realizadas em 2016, foram convidados a participar (já uniformizados) de evento de graduação em parceria com o Capivari Clube, entidade particular que, entre outas modalidades, também oferta a prática da Capoeira. Assim, em 24 de junho de 2017, os 3 (três) primeiros participantes do projeto foram batizados na arte da Capoeira.

Além da presença no evento capoeirístico do Capivari Clube, os participantes do projeto foram convidados e participaram de eventos das prefeituras municipais de Capivari e de Rafard-SP e da escola particular EAC – Escola Alegria de Crescer, também localizada em Capivari.

Em 23 de outubro de 2017, realizou-se o I Batizado e Troca de Cordões de Capoeira do IFSP Câmpus Capivari. O evento foi realizado durante as atividades da V Semana Nacional de Ciência e Tecnologia e teve como objetivo principal reconhecer a dedicação, esforço e aprendizado dos 7 (sete) atletas que receberam nova graduação. O evento foi realizado em parceria e contou com a presença de profissionais e atletas dos Grupos de Capoeira “Expressão Paulista de Capoeira” e “Herança Negra”.

Durante a Semana da Consciência Negra, em novembro de 2017, realizou-se Rodas de Capoeira como apresentação cultural no Câmpus Capivari do IFSP e na Escola Estadual Bispo Dom Mateus, em Mombuca-SP. Ainda em novembro, dia 23, o projeto foi apresentado como relato de experiência na I Mostra de Extensão do IFSP Câmpus Capivari.

 

CONSOLIDAÇÃO EM 2018

 

Como resultado das atividades realizadas em 2016 e 2017, e com a experiência adquirida durante as submissões de propostas e realizações de atividades relacionadas ao projeto Capoeira Contemporânea: Vivência e Práticas Básicas, elaborou-se o programa de extensão Capoeira: Prática e Salvaguarda, submetido e aprovado em segundo lugar, entre 11 (onze) propostas de programa de extensão submetidas em atendimento ao Edital da PRX Nº 901, de 11 de novembro de 2017. A proposta expande os objetivos anteriormente traçados e propõe atividades que tem como público alvo ativo, além dos iniciantes na prática e vivência da Capoeira, os profissionais e Mestres de Capoeira da região onde se localiza o Câmpus Capivari do IFSP, com suas experiências e visões sobre essa manifestação. A proposta é abordar a Capoeira em seus múltiplos âmbitos ambicionando integralizar os saberes popular e acadêmico para a prática e salvaguarda desta manifestação cultural.

O fomento para o programa de extensão, que se realiza em 2018, contempla parcelas mensais de R$ 400,00 (quatrocentos reais) para 8 (oito) bolsistas discentes de extensão, por 7 (sete) meses. Além de mais R$ 10.000,00 (dez mil reais) para aquisição de materiais de consumo e R$ 3.000,00 (três mil reais) para aquisição de materiais permanentes. No total R$ 35.400,00 (trinta e cinco mil e quatrocentos reais).

Os 8 (oito) bolsistas foram selecionados e, inclusive, um deles é o mesmo bolsista que acompanha a realização das atividades desde 2016, porém já não se pode dizer mais que se trata de coincidência, diante das consideráveis experiência e familiaridade com a execução das atividades. O material permanente que será adquirido refere-se exclusivamente a instrumentos musicais primordiais nas Rodas de Capoeira e o material de consumo refere-se a conjuntos de uniformes e aparelhos para realização de exercícios técnicos.

O desenvolver da proposta está sendo relatado no site www.capoeiraifspcapivari.com.br, que por si só já revela um dos resultados do programa de extensão. Inclusive, o presente dossiê (elaborado em maio de 2018) também se revela como resultado do programa de extensão. Dentre os demais resultados, porém, cabe destacar a solicitação de cadastro de novo grupo de pesquisa denominado NEPCap – Núcleo de Estudos e Pesquisas em Capoeira, realizada junto a Diretoria de Pesquisa (DPEQ) do IFSP em 14 de maio de 2018 e que, em rápida pesquisa no Diretório de Grupos de Pesquisa da Plataforma Lattes, revela-se pioneiro, uma vez que nenhum grupo de pesquisa cadastrado na citada plataforma se propõe a pesquisar exclusivamente a Capoeira.

berimbau-desenho-png.png
instruments_berimbau-512.png